Cianorte

13/03/2020

Aumenta o plantio de pupunha na região Noroeste

O cultivo de palmeira pupunha tem potencial para se tornar uma atividade lucrativa para produtores do Noroeste do estado, já que a cultura se adapta bem à região e a demanda por palmito é crescente.  A área de cultivo vem crescendo nos últimos anos. Ao longo do ano passado foram plantadas 130 mil mudas de palmeira pupunha e no início deste ano produtores de Tuneiras do Oeste, Mandaguaçu e Cruzeiro do Oeste plantaram outras 25 mil mudas. Apesar desse aumento visível, os produtores locais só atendem 25% da demanda de palmito na região, o que aponta para um mercado em potencial.

A necessidade de uma produção maior de palmito na região Noroeste surgiu com a instalação de uma agroindústria em Cruzeiro do Oeste, a Agroplanalto. Atualmente a empresa está trabalhando apenas com metade da sua capacidade, beneficiando até 1.600 hastes por dia. A maior parte dos palmitos que chega à agroindústria vem do Vale do Ribeira. De olho nesse mercado, os extensionistas estão estimulando produtores a implantarem áreas com o cultivo de pupunha, prioritariamente agricultores familiares. A indústria firma o compromisso de comprar a produção dos agricultores locais pelo valor do mercado. 

A região Noroeste já tem 80 hectares com pupunha, mas a meta para os próximos anos é chegar a 200 hectares. Edison Mikami, do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater, observa que a cultura da palmeira pupunha exige técnicas específicas, do plantio até a fase de produção. "O produtor deve utilizar os insumos adequados, aliados aos tratos culturais e usar a irrigação", destacou. Para planejar a implantação das áreas nas propriedades, o produtor precisa saber que o primeiro corte é feito dois anos após o plantio das mudas. Para orientar os agricultores, o Instituto Iapar-Emater desenvolve o Projeto Palmáceas, na região Noroeste.

Roberto Corredato, gerente regional do Instituto, lembra que o produtor que optar pelo plantio da pupunha conta com o conhecimento da assistência técnica e a proximidade com a indústria. "Assim o produtor tem acesso a toda a cadeia produtiva do palmito", observou.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.