Emater

05/07/2019

Joinville vai sediar Seminário sobre a produção de palmáceas no Sul do Brasil

Santa Catarina e Paraná somam 13.154 ha cultivados com palmáceas. A atividade tem grande importância econômica para ambos os estados e a cada dia ganha novos adeptos. Esse é público do Seminário sobre o Sistema de Produção da Pupunheira e da Palmeira Real Australiana no Sul do Brasil, que será realizado em agosto (dias 21 e 22), em Joinville.  O Seminário é promovido pela Epagri, Embrapa Florestas e Instituto Emater.

Especialistas vão discutir diversos aspectos do cultivo e manejo das palmáceas, como a legalização da unidade de processamento de pupunha in natura, a produção e qualidade de mudas, o controle de doenças da pupunheira, o melhoramento genético da Palmeira Real Australiana e o processamento de palmito. O Seminário será realizado no salão de eventos do Restaurante Rudnick, BR 101, Km 25, no distrito de Pirabeiraba, Joinville.
A pupunha, a palmeira real e a palmeira imperial são as principais palmáceas cultivadas no Paraná e Santa Catarina. De acordo com o Censo Agropecuário de 2017, os produtores catarinenses cultivam 10.500 hectares com palmáceas. A produção anual chega a 35.000 toneladas e 65 agroindústrias processam o palmito de pupunha e palmeira real australiana. Ao todo, 4.116 produtores se dedicam à atividade. Santa Catarina é o terceiro produtor nacional, ficando atrás de São Paulo e Bahia.

Os números do Paraná são mais modestos, mas também são significativos. São 1.030 produtores e uma área de 2.654 ha. A pupunha é a mais cultivada e pesquisada pelos paranaenses por apresentar algumas vantagens em relação às demais palmáceas. As principais delas são o alto rendimento na agroindústria e o perfilhamento constante, não necessitando um novo plantio após o corte. Essa característica economiza tempo e mão de obra para o produtor. Outra vantagem da pupunha é a não oxidação, ou seja, não escurece após o processamento, podendo ser comercializada de forma in natura, satisfazendo a necessidade dos consumidores que buscam a cada dia mais o consumo de produtos naturais. 

A principal região produtora no Paraná é o litoral, em função das características climáticas. A área de cultivo é de aproximadamente 2008 ha, representando mais de 80 % do cultivo do estado e envolvendo mais de 850 produtores nesta atividade. O cultivo de palmeira pode gerar uma renda bruta mensal de, aproximadamente, um salário mínimo por ha, após dois anos de cultivo.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.