Ponta Grossa

04/07/2019

Leite gera mais renda em Reserva

No município de Reserva a produtividade média do rebanho leiteiro é de 15 litros/animal/dia, mas um grupo de vinte produtores está conseguindo melhorar esse rendimento, chegando a 20l/vaca/dia. Eles participam do projeto estratégico Leite Competitivo Sul-Cantu que tem como objetivo fazer com que a produtividade aumente em 50% até o fim deste ano. Para chegar a esse resultado, os técnicos prestam assistência técnica continuada aos agricultores e contam com a colaboração de estudantes do curso de Zootecnia da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

Dez estudantes estão participando do convênio UEPG/Instituto Emater há um ano e meio. De acordo com o extensionista Raphael Patrick Moreira, do Instituto Emater de Reserva, a participação dos universitários tem ajudado a levantar informações a respeito do rebanho dos produtores assistidos. "Nas visitas mensais que fazemos às propriedades são realizadas atividades como a pesagem dos animais, a avaliação do escore corporal, o balanceamento de dietas. Além do mais, com a disponibilidade do laboratório do Centro Mesorregional de Excelência em Tecnologia do Leite (CMETL), amostras individuais do leite das vacas são analisadas para detectar o índice de gordura, proteína, caseína e células somáticas. Regularmente as fezes dos animais também são coletadas para análise de possíveis infestações com endoparasitas", explicou Moreira.

Além da universidade, o projeto também está promovendo a integração dos produtores com as empresas do setor. "Essa integração da extensão, pesquisa e das empresas favorece toda a cadeia do leite no município. Todos de alguma forma saem ganhando. Acredito que o maior beneficiado é o produtor, pois ele pode conhecer o que há de melhor e mais atual em tecnologia de produção. Muitas vezes a pesquisa acaba ficando distante do produtor. O que estamos fazendo é aproximar a universidade do campo” afirma o extensionista.

Os produtores que participam do projeto recebem toda orientação necessária para melhorar seus índices de produtividade. É o caso de Miguel Djuba, criador de gado de leite, da comunidade Cava Grande. Ele tem 40 vacas da raça jersey em lactação e está iniciando sua participação no projeto. Em meados de junho ele abriu sua propriedade para a realização de um dia de campo. Na oportunidade, ele recebeu produtores da vizinhança que tiveram orientações práticas sobre a criação de bezerras e novilhas. O manejo de ordenha, a manutenção dos equipamentos e a produção de queijos e derivados também foram debatidos por técnicos e produtores. É com a assistência técnica e novas práticas de manejo que o projeto Leite Competitivo Sul-Cantu pretende melhorar a renda dos produtores de leite de Reserva. A meta é fazer com que todas as propriedades atendidas consigam ter sobra acima de 2,5 salários mínimos  por mês.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.