Dois Vizinhos

05/06/2019

Instituto Emater promove inclusão social em Dois Vizinhos e Boa Esperança do Iguaçu

Os extensionistas do Instituto Emater estão levando algumas alternativas para mulheres da área rural de Dois Vizinhos e  Boa Esperança do Iguaçu. A iniciativa pretende melhorar a qualidade de vida, promover a cidadania e a inclusão social das famílias atendidas.

Na comunidade Nossa Senhora do Amparo, em Dois Vizinhos, um grupo formado por quinze mulheres vem se reunindo periodicamente sob a orientação da extensionista Carla Cristina Barretta Schio.  Quase todas as mulheres dividem seu tempo entre os afazeres da casa e o trabalho com o gado de leite, este último considerado uma atividade feminina.Os extensionistas do Instituto Emater  já acompanhavam a comunidade há algum tempo. No entanto, ultimamente vinham notando uma desmobilização das mulheres. "Muitos jovens saíram da comunidade. E as mulheres, na faixa dos 40 a 60 anos, deixaram de fazer reuniões e encontros. Por isso, voltamos à comunidade para fazer um trabalho dirigido às mulheres e resgatar a mobilização desse público", observou Carla Cristina. Neste mês já foram feitas reuniões sobre a produção de alimentos à base de mandioca, uso de plantas medicinais e em breve Carla Cristina vai fazer uma oficina sobre o aproveitamento dos alimentos na forma de sopas.

No município de Boa Esperança do Iguaçu, os extensionistas estão atendendo as famílias beneficiadas pelo programa Família Paranaense-Renda do Agricultor. Carla Cristina informou que uma das iniciativas é melhorar a produção de alimentos junto a vinte famílias. Para isso, os produtores estão investindo os recursos do programa em atividades como a criação de galinhas, o melhoramento do pasto. No próximo dia 26, a extensionista vai realizar uma atividade sobre a produção de alimentos para o consumo, com a implantação de hortas e pomares. A proteção de fontes também deve ser um assunto a ser tratado futuramente. "Muitas famílias das comunidades rurais de Boa Esperança do Iguaçu consomem água de fontes sem proteção, causando vários problemas de saúde entre a população rural. Em breve vamos proteger essas nascentes para melhorar as condições de vida dessas famílias", concluiu Carla Cristina.

As ações, aparentemente pequenas estão fazendo a diferença na vida das famílias atendidas. Com o trabalho junto às mulheres os extensionistas estão conseguindo implantar hortas e pomares, além de incentivar a criação de galinhas, melhorando a produção de alimentos para o consumo próprio. Desta forma, a Extensão Rural trabalha para mudar as perspectivas de vida da população rural em situação de vulnerabilidade social.    
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.