União da Vitória

10/04/2019

Mandioquinha salsa é alternativa em Paulo Frontin

O cultivo de soja e milho ainda é predominante em Paulo Frontin, mas os extensionistas do Instituto Emater estão apresentando alternativas para os produtores. Uma delas é o cultivo de mandioquinha salsa, assunto que foi discutido em um encontro regional, realizado em março no município. A intenção dos organizadores foi motivar e tecnificar os hortifruticultores, fortalecendo a cadeia de produção da mandioquinha.

De acordo com Rogério da Silva Almeida, do Instituto Emater de Paulo Frontin, o produtor interessado em cultivar mandioquinha salsa deve procurar informação técnica. " O produtor precisa fazer um bom preparo do solo,  calagem e o plantio em nível. É uma cultura que exige um pouco do solo", afirmou o extensionista. Ele também chama a atenção para o uso de mudas de boa procedência para que o agricultor consiga uma boa produtividade. "Atualmente, em todo o país, só existem cinco viveiros licenciados pela Embrapa que produzem boas mudas de mandioquinha", observou Almeida. Por isso mesmo os extensionistas de Paulo Frontin estão organizando os produtores interessados para que possam fazer a compra conjunta de mudas. Um plantio comercial de mandioquinha começa com 1000 mudas e em um hectares podem ser plantadas até 47 mil mudas. Almeida ainda acrescentou que a produção do município está sendo vendida em feiras do município, supermercados da região e também atende a merenda escolar. "Por enquanto o mercado não exige nenhuma classificação da mandioquinha. Mas estamos orientando os produtores a fazerem esse trabalho para que eles consigam melhores preços e mais mercado", concluiu Almeida. 

Os  produtores que participaram do encontro de Paulo Frontin discutiram vários assuntos, entre eles as novas cultivares e tratos culturais da mandioquinha, bem como o tratamento pós colheita. Rogério Almeida disse que o plantio na região é feito entre junho e julho e que agora é o momento do produtor planejar o preparo do solo e a calagem. Ele ressalta que o plantio deve ser feito em nível para evitar a erosão nas lavouras.

O Encontro promovido pelo instituto Emater reuniu 145 participantes, dos municípios da região de União da Vitória, na propriedade de Júlio Zapotoczny. O produtor tem 2,7 hectares cultivados com a mandioquinha, a maior área da cultura no município. Embrapa, prefeitura de Paulo Frontin, Cresol, Ervateira Meu Paraná, Rádio Comunitária Cidade FM 87,9 e Sanepar foram os apoiadores do encontro.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.