Emater

11/12/2018

Programa Renda do Agricultor – Qualidade de Vida e Geração de Renda Para as Famílias Rurais

O Instituto Paranaense de Assistência Técnicas e Extensão Rural – Emater atendeu 5.186  famílias pelo Programa Renda Agricultor. O compromisso da Emater é atender até junho de 2019, 5.600 famílias rurais que vivem em situação de vulnerabilidade nos municípios prioritários do Programa Família Paranaense, realizado sob a coordenação da SEDS.

O Renda Agricultor é uma modalidade do Programa Família Paranaense, e foi realizado em parceria com a SEAB – Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento e com a SEDS – Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social.

O serviço prestado pela Emater compreendeu a seleção das famílias em conjunto com os Comitês Locais existentes nos municípios, a visita às famílias para identificar suas necessidades e demandas, a discussão e elaboração de um projeto para a unidade familiar produtiva, a assistência técnica e extensão rural e acompanhamento do projeto.

Ao visitar as famílias rurais os extensionistas da Emater identificam suas necessidades e demandas, possibilitando o acesso destas as outras políticas públicas e programas que podem ser executados pela própria entidade ou por outras. Esta atividade exige que o extensionista se articule profissionalmente com outras secretarias e órgãos existentes no município e região, negociando ações que contribuam para a satisfação das necessidades detectadas. A parceria com as diferentes instituições é fundamental para atender as famílias beneficiárias do programa.

O projeto de assistência técnica elaborado pelo extensionista da Emater em conjunto com a família, tem por objetivo o desenvolvimento de uma atividade produtiva que possa contribuir para a família sair da linha de pobreza em que se encontra, muitas vezes por não vislumbrar oportunidades de geração de renda. Para isto é repassado R$ 3.000,00 (três mil reais), em duas parcelas que vão sendo desembolsadas conforme o desdobramento do projeto que é acompanhado pelo extensionista da Emater.

As atividades propostas nos projetos produtivos, são bastante diversificadas tendo em vista que o extensionista discute com a família o sonho que ela tem para melhorar a sua qualidade de vida. Contudo não basta discutir o sonho, é necessária uma reflexão sobre a viabilidade técnica do projeto, considerando, entre outros, aspectos como o conhecimento e a experiência da família sobre a atividade ou as possibilidades de receber capacitação e quanto tempo isto demora; aspectos ambientais relacionados à atividade; perspectivas de mercado para a produção ou serviço que a família pretende desenvolver; e o mais importante, se o recurso repassado é suficiente para iniciar o projeto e se o mesmo poderá gerar ativos para a continuidade do mesmo.

Entre as atividades mais apoiadas foi constatada a criação de aves e suínos, melhoria na produção de animais de leite, implantação de hortas e fruticultura, sendo estas atividades que também contribuem na melhoria da alimentação da família. Também são elaborados muitos projetos não agrícolas para a aquisição de equipamentos que melhoram as condições de serviços prestados como: salão de beleza; costura, bordado e artesanato; equipamentos de pedreiro, jardinagem, equipamentos de cozinha para produzir panificados, bolachas e bolos, entre outros.

Como complemento do serviço de assistência técnica e extensão rural, o extensionista ofereceu capacitação às famílias beneficiadas, de acordo com os projetos e as necessidades identificadas.

Além do projeto produtivo, a família pode usar parte do recurso recebido na produção de alimentos para autossustento e para atividades de saneamento básico e melhoria da qualidade da água utilizada para o consumo humano. Neste aspecto são realizadas proteções de fontes de captação de água, fossas sépticas e reformas ou construção de banheiros, disponibilizando encanamento de água até a moradia, chuveiro e outras melhorias que trazem conforto às famílias rurais.

O Renda Agricultor é o exemplo de politica pública que veio para beneficiar as famílias rurais que vivem em estado de vulnerabilidade social, contribuindo desta forma, para a redução das desigualdades e o desenvolvimento das comunidades rurais e pequenos municípios do Estado.


Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.