Curitiba

27/04/2018

Paraná é sede do 30° Seminário Nacional de Cebola

Cerca de mil pessoas participaram nesta quarta-feira (25) do 30º Seminário Nacional de Cebola e do 28º Encontro Estadual de Produtores de Cebola. Realizado em Campo Magro, na Região Metropolitana de Curitiba, o encontro teve como tema O Futuro da Cebolicultura no Brasil.

O evento discutiu a adoção de novas tecnologias de produção, a utilização de irrigação e de mais sementes híbridas com o objetivo de aumentar a produtividade. “Apenas com a adoção da irrigação, a produtividade da cebola aumenta 50%”, disse o extensionista da Emater-PR Iniberto Hamerschimidt, coordenador do encontro.

O Paraná é o sexto produtor nacional de cebola, com uma produção de 117 mil toneladas em 2018, cerca de 14% inferior ao ano passado, quando a produção atingiu quase 130 mil toneladas. Apesar desta redução em relação ao ano anterior, a produtividade no Estado cresceu significativamente nos últimos 30 anos – passou de 4.164 quilos por hectare para 26 mil quilos por hectare atualmente, o que mostra o avanço no uso de tecnologias. O cultivo do tubérculo é típico da agricultura familiar e está presente em 132 municípios, envolvendo 3,8 mil propriedades agrícolas.

O cultivo da cebola no Estado se concentra basicamente em três núcleos regionais que respondem por 91% do total produzido. No núcleo da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, em Curitiba, encontra-se a principal área produtiva, com 58% da área ocupada com a cultura, seguido de Irati, com 22% da área, e Guarapuava com 11% na  área cultivada no Paraná. No País, o cultivo da cebola está presente em 14 estados brasileiros.

Renda – O encontro também incluiu uma análise do quadro econômico da atividade como forma de controlar o crescimento da produção sem planejamento para evitar a derrocada nos preços do tubérculo. De acordo com Hamerschimidt, não adianta subir muito o preço da cebola se não houver consumo.

A safra de cebola no Paraná já foi toda colhida e o reflexo disso está sendo sentido na ponta do varejo. Os preços começaram a subir para o produtor, que já está recebendo em torno de R$ 3,50 o quilo. “A tendência é o preço da cebola subir para até R$ 5,00 o quilo”, disse o técnico.

De acordo com o secretário da Agricultura e do Abastecimento em exercício, Otamir Cesar Martins, quase 4 mil agricultores familiares cultivam a cebola no Paraná e geram renda e emprego numa época de baixa atividade no campo, que é o inverno. “A cebola gera renda num época que não tem faturamento no campo”, disse.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.