Maringá

26/04/2018

Produção integrada de leite, madeira e café é alternativa em Santa Fé

A integração da atividade pecuária com a lavoura despertou o interesse de um grupo de agricultores, mulheres rurais e jovens de Santa Fé. Eles participaram do Segundo Dia de Campo de Integração Lavoura Pecuária-Floresta no último dia 20, na propriedade da família Sussai.

A realização do dia de campo foi motivada porque o município de Santa Fé tem uma extensa área com pastagens cultivadas. São, ao todo, 13.750 hectares de e 378 pecuaristas que atuam tanto na bovinocultura de leite,     quanto na criação de gado de corte.  Uma boa parte desses agricultores já aderiu à produção de madeira. Exatamente por esse motivo, os extensionistas viram a oportunidade de realizar um dia de campo para mostrar algumas tecnologias que vêm sendo aplicadas na região.

O Dia de Campo foi realizado na propriedade da família Sussai, onde a atividade principal é a pecuária leiteira. Há cerca de dois anos os produtores optaram por implantar Eucalyptus no pasto. Assim, vai ser possível melhorar a lucratividade da propriedade no futuro, com a venda da madeira. A família também tem uma área de 6.05 hectares destinados ao café. Eles cultivam variedades desenvolvidas pelo Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR), no sistema irrigado e cultivo adensado. Nessa área, a família faz o consórcio com capins do gênero Brachiaria, sustentando uma produtividade média de 60 sacas beneficiadas de café por hectare. A resultado é considerado excelente, considerando-se a média brasileira de 25 sacas beneficiadas por hectare.

Outra atividade vista na propriedade da Família Sussai foi o uso de lodo de esgoto tratado, acompanhado pelos técnicos do Instituto Emater de Santa Fé, com o apoio dos funcionários da Sanepar.

De acordo com Ricardo Augusto da Silva, do Instituto Emater de Santa Fé, os 130 participantes do Dia de Campo puderam conhecer detalhes de uma propriedade diversificada, onde a criação de gado leiteiro, a cafeicultura adensada mecanizada e o plantio florestal estão perfeitamente integrados. “Este é um exemplo que pode ser seguido pelos agricultores de toda região”, ressaltou o extensionista.

O Dia de Campo foi promovido pelo Governo do Paraná, por meio da Secretaria da Agricultura e Abastecimento (SEAB) e realizado pelo Instituto Emater, Iapar e Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar).
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.