Londrina

22/12/2017

Ibiporã cria rede de articulação sobre agrotóxico

Na última semana, aconteceram em Ibiporã e Jataizinho duas reuniões para consolidação de uma proposta de trabalho que visa amenizar (mitigar) os efeitos do mau uso de agrotóxicos na região abrangida por aquela Comarca. Participaram profissionais da assistência agronômica local,  revendedores de agrotóxicos e produtores rurais. Estes eventos fazem parte de um plano de trabalho criado a partir da constituição de uma Rede Municipal de articulação sobre o uso dos Agrotóxicos, formada por representantes de entidades ligadas ao setor rural e urbano, em cada um dos dois municípios. A Rede foi criada por  articulação da Promotoria Publica da Comarca de Ibiporã.

O impacto causado pelo uso dos agrotóxicos inclui a contaminação dos alimentos, danos à saúde pública e ao meio ambiente, tanto no solo como na água que consumimos. Em Ibiporã e Jataizinho, o uso dos agrotóxicos tem aumentado em torno de 10% ao ano, segundo dados oficiais, e esta situação teve tratamento prioritário no Plano Setorial do Ministério Público do Estado do Paraná, da Comarca de Ibiporã.

A criação da Rede Municipal de Articulação é uma estratégia que permite o envolvimento de diversas instâncias do poder público, em nível de município, como a Vigilância Sanitária, a Defesa Civil, as secretarias municipais do Meio Ambiente e da Agricultura, entidades do Governo Estadual, como o Instituto Emater e a Adapar, e o Crea, respeitando e adequando as diversas atribuições legais das instituições e seu respectivo planejamento de ações.

Visando a implantação dos trabalhos, foram realizadas duas importantes reuniões. A primeira com a Rede de Ater, 28 de novembro,  com a participação dos engenheiros agrônomos que atuam na assistência técnica oficial e particular e revendedoras de insumos. Outra foi com os agricultores. Nesta segunda reunião, 7 de dezembro, com a presença de 42 pessoas, participaram os proprietários de lavouras da microbacia hidrográfica do Ribeirão Jacutinga. O tema foi o uso dos agrotóxicos, uso do Receituário Agronômico e a questão do Manejo Integrado de Pragas e Doenças. Na oportunidade, o Instituto Emater apresentou os resultados de trabalho realizado nas últimas quatro safras, em propriedades consideradas unidades de referência para a tecnologia de manejo integrado de  pragas e doenças. São resultados já publicados e que indicam a aplicação de agrotóxicos apenas quando necessário, com redução de 50 % no uso de inseticidas e fungicidas para a cultura da soja. É mais lucro para o agricultor e menor dano ao ambiente.

Na manhã de 8 de dezembro, dia seguinte ao evento, foi realizada uma prática de campo em uma unidade de referência, na propriedade da família João Correia, na Água da Concórdia assistida pela Emater. Participaram do evento 30 produtores,  técnicos e parceiros do trabalho. Foi o chamado "giro técnico", com a participação de  pesquisadores da Embrapa e especialistas da Emater, tratando de Mip, Mid, Tecnologia de aplicação de agrotóxicos, inoculação da semente de soja,  além de outras questões levantadas pelos participantes.

Agora o Comitê da Rede vai organizar as próximas etapas para a implantação desta ação estratégica e importante para o município, que além do envolvimento dos produtores para adequar as aplicações de agrotóxicos nas lavouras em geral e na bacia do Jacutinga e da zona de amortecimento do Parque Estadual de Ibiporã (UC), deve agir sobre as derivas de produtos aplicados na região periférica da cidade, bem como melhorar a orientação aos produtores de verduras para que utilizem de boas praticas na produção, desde a adoção de manejo das pragas e doenças até a observância de produtos menos tóxicos e que não deixem resíduos nos alimentos. Deve-se criar referência na produção e estratégias de comercialização de alimentos seguros no município.

Além das ações educativas,  o plano de trabalho contempla ações de fiscalização das atividades de todas as entidades e pessoas envolvidas, ações estas que estão contidas em uma Recomendação Administrativa, emitida pela Promotora de Justiça, do  Ministério Público do Estado do Paraná, que está sendo divulgada a todos e entregue após assinatura de Termo de Recebimento.

Texto:
Ednei Bueno do Nascimento - Emater/Curitiba
Ildefonso Haas - Emater/Unidade Regional de Londrina
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.