Maringá

14/06/2017

Produtor de Iguaraçu vence o 13º Concurso Redução de Perdas na Colheita da Soja, na região de Maringá

Marcos França foi o produtor que teve a menor perda durante a colheita de soja na safra 2016/2017, na região de Maringá.  Enquanto a perda média no estado é de 60 kg/ha, o agricultor de Iguaraçu deixou para trás apenas 4,10 kg/ha. O resultado deu ao produtor a primeira colocação no 13º Concurso Regional de Redução de Perdas na Colheita da Soja de Maringá e uma moto Suzuki GS 100, prêmio doado pela Sicredi União. A solenidade de premiação aconteceu na sexta-feira, dia 9, durante a 21ª Festa da Colheita da Soja, na sede da Sociedade Rural de Maringá.

Na edição desta safra o concurso de controle de perdas atingiu uma área de 34.800 ha, dos 250 mil hectares cultivados com soja na região de Maringá. A competição contou com a participação de 145 operadores, entre proprietários e trabalhadores rurais, de nove municípios: Maringá, Marialva, Paiçandu, Ângulo, Lobato, Mandaguaçu, Itambé, Dr. Camargo e São Jorge do Ivaí. Os melhores colocados com máquinas das marcas Massey Fergusson, New Holland e John Deere também foram premiados com uma motocicleta. Além disso, o concurso entregou prêmios aos trinta operadores que obtiveram os melhores resultados. Eles receberam equipamentos agrícolas, eletroeletrônicos, insumos agrícolas e brindes diversos cedidos pelos patrocinadores do concurso.

Economia

A avaliação de perdas a campo, durante a colheita, seguiu a metodologia desenvolvida pela EMBRAPA-Soja. Os dados dos pesquisadores revelam que a perda média no Brasil é de duas sacas/ha e no Paraná perde-se, em média, uma saca/ha. “Entre o conjunto de máquinas avaliadas algumas tinham mais de trinta anos de uso. Mas diante de uma lavoura bem plantada, três pontos são fundamentais e fazem a diferença: a habilidade do operador, a regulagem e a manutenção das máquinas em operação”, ressaltou Joaquim Girardi, do Instituto Emater de Maringá. De acordo com os organizadores do concurso, se os operadores de toda a região de Maringá seguissem a média das 145 máquinas do concurso, os produtores teriam um acréscimo de 17 mil sacas de soja na colheita ou R$ 1.000.000. Se essa avaliação fosse considerada para a área de 5,25 milhões de hectares de soja plantados no Paraná, a economia seria de 3,65 milhões de sacas ou R$ 237.725.000.

O concurso de perdas é realizado há 21 anos pelo Instituto Emater, vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento. Para a avaliação dos operadores, a organização do concurso contou com o apoio de estudantes da Universidade Estadual de Maringá (UEM), do Centro Superior de Ensino de Maringá (UNICESUMAR), da UNINGÁ, prefeituras municipais, sindicatos, federações de produtores e trabalhadores rurais, cooperativas e empresas privadas do setor. Na sexta-feira também foram premiados os produtores que realizaram, com eficiência, as ações da Campanha Plante seu Futuro, como as práticas de Manejo Integrado de Pragas e Doenças e de Conservação de Solos.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.