Irati

17/04/2017

Comunidade de Irati protege fonte para superar escassez de água

Produtores da comunidade do Arroio Grande, em Irati, tiveram a oportunidade de aprender mais sobre a importância da água e a preservação desse recurso. No último dia 11 eles participaram de uma reunião prática sobre proteção de fontes. Apesar do nome, os moradores da comunidade sofrem com a freqüente falta de água nas propriedades. A iniciativa pretende incentivar os produtores a protegerem as nascentes e aumentar a oferta de água na comunicade.

 “Nossa comunidade sofre muito com a falta de água em períodos de seca. Hoje nós temos água aqui na propriedade porque choveu a semana passada mais de 50 mm, caso contrário, temos que buscar com galões longe daqui”, informou Jaciel Zaikevicz, morador da localidade.

Uma das primeiras orientações repassadas aos produtores foi a importância da preservação dos arredores das fontes. “Para termos mais água o primeiro passo é proteger o ambiente onde aflora nossas vertentes” explicou o extensionista Bruno Luis Krevoruczka, da Emater de Irati. Segundo ele, é preciso manter a vegetação ciliar num raio de 15 metros em áreas consolidadas. “É o mínimo que um agricultor pode fazer, tanto por lei, quanto pela preservação dos recursos naturais” acrescentou o extensionista.

A reunião prática foi realizada em parceria com a Secretaria Municipal de Agricultura de Irati que mantém, desde 2006, um trabalho de proteção de nascentes. Os produtores aprenderam a proteger as nascentes com o método do solo-cimento. “A mistura de solo argiloso com cimento oferece um material resistente e de secagem rápida, possibilitando o isolamento da nascente, evitando assim que contaminantes prejudiquem a qualidade dessa água” explicou Trybek técnico da prefeitura.

A nascente foi protegida na propriedade do agricultor Joel Cordeiro de Paula. “Eu achei que essa nascente não ia dar em nada, mas no final temos 250 litros de água por hora de vazão. Com uma caixa d’água posso abastecer a minha casa e a dos vizinhos e com água boa”. A intenção é fazer com que os agricultores aprendam a técnica e repliquem em suas propriedades e entre os vizinhos. “Dessa forma a comunidade vai sofrer menos com a falta de água, mesmo em períodos de pouca chuva” finaliza Bruno.

O grupo que participou da reunião recebe assistência dos técnicos do Instituto Emater, da Chamada Pública de Sustentabilidade, do Ministério do Desenvolvimento Agrário. O evento também contou com recursos do programa Pró-Rural da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento/SEAB.

 
Maiores Informações:
Escritório Local de Irati (42)3423-2196
Bruno Luis Krevoruczka – Engenheiro Agrônom
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.