Projeto Pesca e Maricultura

No estado do Paraná a pesca é realizada no Litoral onde se concentra nas baías, envolvendo por volta de 5.500 pescadores. A tecnologia de pesca utilizada restringe-se aos métodos tradicionais dos pescadores artesanais, com embarcações de pequeno porte, tanto na capacidade como em autonomia. Considera-se que o pescador do litoral paranaense não tem a mesma vocação empreendedora e tradição na pesca marítima ou em alto-mar que o pescador dos estados vizinhos. 

A produção anual de peixes (DERAL/SEAB, 2012) é de 2.619 t e 6.318 t de camarões, mais aproximadamente de 340 t de mexilhões, ostras, siri e caranguejo, num total de 9.277 t/ano.
A pesca em águas continentais realizada nas bacias do rios Paraná, Paranapanema, Tibagi e Ivaí, envolve mais por volta de 6.000 pescadores artesanais e produção anual de 3.774 t (DERAL/SEAB, 2012).


Barco de  pesca Camarão
Barco de pesca artesanal
Barco maior de pesca em alto mar
Barco de pesca artesanal


A renda obtida com a atividade pesqueira em todos os ambientes é baixa e raramente ultrapassa a um e meio salários mínimos nacionais por mês.

O aumento no esforço de captura não é possível devido a limitação dos estoques pesqueiros. Portanto, para o desenvolvimento econômico e social das famílias envolvidas na atividade, além do trabalho na melhoria da conservação e na qualidade do pescado, o Governo do Estado investe em alternativas de cultivo.

Criação de Ostras
Projeto de Criação de Ostras


No litoral o trabalho é realizado por 6 técnicos que atuam na implantação e orientação de projetos comunitários de maricultura, principalmente na criação de ostras nativas.

Além das orientações citadas acima, os técnicos do Instituto Emater prestam todo o apoio necessário aos pescadores para acesso ao crédito rural e para a organização da categoria.
 
Recomendar esta página via e-mail: