Atuação e Estratégia

Estratégia de trabalho do Instituto Emater

 
O Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural criado por Lei Estadual é uma autarquia vinculada à Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento com o papel de executar o serviço oficial de extensão rural do Estado.

O Instituto Emater tem como funções básicas no cumprimento de sua missão:


  • Operar políticas Públicas que contribuam para melhoria do ambiente rural e para qualidade de vida das famílias do meio rural paranaense.
  • Orientar os agricultores familiares e suas organizações no desenvolvimento de sistemas de produção para que os mesmos sejam sustentáveis e gerem renda suficiente para conferir competitividade aos negócios que sustentam as propriedades rurais e permitem às famílias rurais vida diga e com qualidade.
  • Articular e coordenar a construção e execução do Plano Estadual de ATER, em conjunto com as demais organizações, visando organizar os serviços de ATER para aumentar a abrangência e melhoria de sua qualidade.


Funções básicas do Instituto Emater - Gráfico

 



Políticas Públicas de apoio do desenvolvimento Rural sustentável


Políticas públicas são diretrizes, orientações e ações desencadeadas pelo Estado com objetivo de acelerar processo de mudanças desejáveis. No caso da Emater, são as políticas públicas que se aplicam ao conjunto dos elementos que caracterizam o meio rural paranaense: população, agricultura, solo, meio ambiente, unidades produtivas de produção, organizações rurais.


São políticas públicas:

  • O acesso à Terra;
  • Assistência Técnica aos assentamentos rurais
  • O Fortalecimento da agricultura familiar;
  • Melhorar a competitividade da agricultura;
  • Melhorar a qualidade de vida população rural;
  • A Universalização da Ater;
  • A Redução da pobreza;
  • A Redução das desigualdades regionais;
  • A Segurança alimentar.


Das políticas Públicas se originam programas oficiais que visam criar mecanismos que facilitadores que aceleram determinados aspectos que se deseja alterar.
É função básica da extensão rural, trabalhar com o conjunto dos habitantes do meio rural as condições para acessar as políticas públicas e os programas de governo. 


São atividades extensionistas em relação às políticas públicas:

  • Divulgação;
  • Facilitar o acesso;
  • Elaborar projetos;
  • Orientar;
  • Articular com entidades;
  • Orientar a aplicação de recursos.


Os programas oficiais são utilizados pela extensão rural como mecanismos facilitadores para apoiar a estruturação de projetos técnicos de natureza econômica, social e ambiental que compõe os planos municipais de trabalho e o processo de orientação dos agricultores assistidos e atendidos do Estado do Paraná e para melhorar a qualidade de vida da população rural.


São programas oficiais de apoio ao meio rural , que compõe a organização da agenda extensionista:

  • Crédito Fundiário;
  • Pronaf – Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar;
  • Programa de Manejo de solos e água em Microbacias;
  • Desenvolvimento Integrado do Paraná - Prorural
  • Chamadas Públicas do Ministério do Desenvolvimento Agrário;
  • Mercados Institucionais
  • Programa Morar Bem – Habitação Rural;
  • Programa Leite das Crianças;
  • Programa de Apoio ao Manejo e Fertilidade do Solo
  • Programa de Agroindustrialização Familiar do Paraná
  • Programa Brasil Sem Miséria
  • Territórios da Cidadania
  • Programa Família Paranaense


Plano de Trabalho Integrado com os Municípios


Para o desenvolvimento da missão institucional, o Instituto Emater possui unidades distribuídas em praticamente todos os municípios do estado. Estas unidades abrigam profissionais que executam as ações diretamente com os agricultores e as com organizações de representação dos mesmos.
As unidades municipais atuam de forma integrada com as prefeituras municipais, através de Planos Municipais de Trabalho. Além das prefeituras são parceiros as entidades de representação dos agricultores e as entidades de interesse econômico dos agricultores como as cooperativas, associações e agências de crédito rural.
Para cada município é elaborado um Plano Integrado de Trabalho, que define prioridades, projetos, atividades básicas a serem desenvolvidas, públicos e resultados a serem alcançados na promoção do desenvolvimento rural e melhoria da qualidade de vida das famílias. Os Planos Integrados de Trabalho dão origem aos Termos de Cooperação Técnica firmados entre o município e a Emater, no qual se estabelecem condições de mútua cooperação para a execução do trabalho. Uma recente decisão do Governo do Estado desonerou as prefeituras municipais de bancarem contrapartida financeira para os Termos de Cooperação com a Emater.
Além das unidades municipais, o Instituto Emater possui 22 unidades regionais no Estado, com papel de coordenação técnica e gerencial do trabalho.

Público


As ações da extensão rural são desenvolvidas junto ao público do meio rural e suas organizações, com prioridade aos agricultores familiares.

Entende-se que faz parte da prioridade institucional trabalhar com:

  • Agricultores de economia familiar
  • Trabalhadores rurais
  • Pescadores artesanais
  • Jovens e mulheres rurais
  • Moradores de comunidades indígenas
  • Quilombolas.


Organização do Público atendido

Para a execução das ações de extensão rural junto aos agricultores e suas famílias, o Instituto Emater adota como estratégia de trabalho a organização de grupos de agricultores a serem orientados de forma mais sistemática pelos extensionistas. São chamados agricultores assistidos – aqueles que recebem orientação técnica em suas propriedades e em projetos de forma mais sistemática.
Os demais agricultores do município, que necessitam de orientações técnicas e de projetos para acessarem as políticas públicas também são atendidos pelos extensionistas, diretamente nas unidades municipais ou mesmo nas suas comunidades na medida de suas necessidades e demandas. São os chamados agricultores atendidos.

Público Assistido – são agricultores familiares que recebem orientação sistemática da Emater, através de programação prévia em projetos considerados prioritários nas Unidades Produtivas Familiares - UPF, integrantes de grupo a ser assistido. As ações contratadas deverão ser grupais e individuais em nível de propriedade.

Público Atendido – são os demais agricultores familiares que recebem atendimento eventual ou esporádico (por demanda). O atendimento poderá ser dado tanto em projetos considerados prioritários, como em outros projetos ou no atendimento para operar programas oficiais.

As ações com os grupos de agricultores assistidos pressupõe a elaboração de um plano de trabalho para cada grupo de agricultores, com a implantação dentro de cada grupo de uma ou duas unidades de referência, que é um local em que se concentram as práticas e inovações tecnológicas e que servem de unidades de demonstração de resultados para facilitar o processo de adoção, por parte dos demais agricultores do grupo e mesmo do município.


Organização de Contéudos da Extensão Rural


O foco da ação da extensão rural é contribuir com o desenvolvimento rural sustentável, através de ações de assistência técnica e extensão rural, voltadas à melhoria da renda dos agricultores em seus negócios, melhoria da qualidade de vida das famílias do meio rural, melhoria da competitividade da agricultura, e preservação dos recursos naturais e meio ambiente.
Para a consecução das ações a extensão rural organiza seus conteúdos e competências em projetos que estão organizados nas áreas de concentração. As áreas têm o papel de organizar a inserção dos projetos nas regiões. Os projetos se inserem nas regiões em função de prioridades que são definidas na leitura da realidade local e elaborações dos planos de desenvolvimento. Assim, a entrada dos projetos no plano de ação dos territórios, das regiões e dos municípios está subordinada a visão de desenvolvimento rural.

Organização das Á reas de Conteúdo


Área de Desenvolvimento Social

Composta de projetos qualificadores e conteúdos estratégicos de natureza social, que interagem com os demais projetos da extensão rural, visando o desenvolvimento integral da população rural, em dimensões que extrapolam os aspectos econômicos e ambientais. Os projeto da área de desenvolvimento social são considerados projetos transversais cuja execução pode ocorrer por dentro dos projetos finalísticos, as mas também podem pode estar configurados com ações específicas e estruturadas para execução direta junto aos agricultores, suas famílias e as organizações que sustentam as relações sociais do desenvolvimento rural.

Área de Produção Vegetal

Composta basicamente por projetos de cunho finalístico, direcionados ao aprimoramento dos sistemas de produção das principais explorações agrícolas do estado, de interesse dos agricultores familiares, visando melhoria de produtividades, desenvolvimento de produtos seguros, com a qualidade exigida pelos mercados, a organização dos agricultores para o acesso ao mercado, e tendo como produto final a elevação da renda do agricultor e o abastecimento da população.

Área de Produção Animal

Composta basicamente por projetos de cunho finalístico, direcionados ao aprimoramento dos sistemas de produção das principais explorações pecuárias do estado, de interesse dos agricultores familiares, visando melhoria da produtividades, da sanidade agropecuária, da qualidade dos produtos, da organização para o acesso ao mercado e tendo como produto final a elevação da renda do agricultor e o abastecimento da população.

Área de Recursos Naturais e Meio Ambiente

Composta por projetos qualificadores e estruturantes, direcionados ao processo de preservação do meio ambiente, recuperação e preservação dos recursos produtivos do estado, e apoio a logística de transporte e de recuperação da trafegabilidade. A área é organizada para atuar de forma integrada aos projetos finalísticos e, em situações específicas de interesse da população rural, atender interesses que extrapolam os projetos.

Área de Organização Rural e Negócios

Composta por projetos e conteúdos que se direcionam a qualificar e agregar renda aos negócios dos agricultores, contribuindo para melhorar grau de organização, gestão e inserção dos mesmos nos mercado consumidor.



Extensão Rural: Exercício Permanente de Integração e Parceria.


A extensão rural oficial está presenta em praticamente todos os municípios do estado do Paraná. São 395 unidades municipais que estendem os prestam serviços aos agricultores de todos os municípios. Esta capilaridade transforma a organização numa porta de entrada dos programas de governo a todas as comunidades e toda população rural do estado.
A concepção do trabalho a ser realizado, a definição de prioridades, as estratégias e execução se dão através de um exercício permanente de integração e parcerias em todos os níveis. No nível municipal, o parceiro estratégico da extensão rural são os municípios, através de termos de cooperação firmados com as prefeituras, e da integração com as secretarias municipais que garantem as condições necessárias ao desenvolvimento das ações nas mais diversas comunidades do meio rural.
Na execução, outros parceiros são fundamentais nos municípios, com relevância aos sindicatos rurais e sindicatos de trabalhadores da agricultura, as cooperativas e associações de agricultores que materializam o processo de logística da produção e da comercialização dos produtos agrícolas. Ainda faz parte do grupo de parceiros estratégicos, as sociedades rurais, com as quais a extensão rural tem desenvolvidos ambientes dinâmicos e integrados na estruturação dos métodos diversificação de alternativas e de socialização de resultados.
Nas esferas regionais e na esfera estadual, o processo de parcerias se fortalece nas relações com as vinculadas do Sistema Estadual de Agricultura – ADAPAR, CEASA, CODAPAR, CPRA, IAPAR – e com as demais Secretarias de Estado e empresas cuja rede de projetos se aplica a população ao do meio rural , como a COHAPAR cuja parceria viabiliza o programa de habitação no meio rural.
Fora do âmbito de governo, o processo de parceria tem fortes laços com as federações de representação dos agricultores – Federação dos Agricultores do Paraná, Federação dos Trabalhadores da Agricultura do Paraná, Federação dos trabalhadores da Agricultura familiar – com o Sistema OCEPAR, Sistema UNICAFES, SEBRAE, SENAR, e as instituições de Crédito rural – Banco do Brasil, com quem ocorrem as ações de Desenvolvimento Rural Sustentável-DRS, Sistema Cresol, Agência de Fomento Paraná, e outras.


Recomendar esta página via e-mail: