Projeto Café


Na década de 60, o Paraná tinha uma área de 1,8 milhões de hectares, o maior maciço cafeeiro do mundo. Conta hoje com 90 mil hectares cultivados por cerca de 12.000 cafeicultores, sendo 93% de agricultores familiares. Tem, portanto, tradição e estrutura na atividade, destacando-se atualmente por sua produtividade e qualidade, no entanto, sua produção não atende a demanda interna.

O Projeto Café consolida a proposta de diversificação agrícola, sendo uma alternativa viável principalmente para pequenas propriedades. O Projeto tem como linhas de ação: aumento da produtividade, melhoria constante da qualidade e do processo de organização e comercialização diferenciada.


Café Adensado Produtores de Excelência
Café Adensado Grupo de Produtores de Excelência


A base produtiva é o café da espécie arábica, cultivado de forma adensada. Apresenta produtividades superiores a muitas regiões do país, mas ainda necessita de avanços tecnológicos. O Projeto tem como meta a produtividade de 40 sacas beneficiadas por hectare e a qualificação como tipo 6 e bebida dura, através da adoção das boas práticas agrícolas, da mecanização da colheita e da organização do cafeicultor para a produção e comercialização.
O Paraná conta com 10 centros de classificação física e degustação de café, constituindo-se como ferramenta importante na melhoria das oportunidades de comercialização.

O Instituto EMATER tem uma equipe de 44 técnicos especialistas trabalhando no Projeto Café, assessora diretamente 11 associações de cafeicultores e articula diretamente com vários parceiros do segmento.


Recomendar esta página via e-mail: