Projeto Plantas Potenciais, Medicinais e Aromáticas

Flor da CalêndulaO Estado do Paraná destaca-se dos demais por ser aquele que possui maior tradição no cultivo de plantas medicinais, tendo iniciado há mais de 100 anos com o cultivo da camomila.Em 1994, o Paraná já era fornecedor de 90% da demanda nacional de plantas cultivadas. Na mesma época várias empresas do estado intensificaram a fabricação de produtos à base de plantas medicinais, aromáticas e condimentares, tornando-as referências mundiais.

 
O mercado mundial de ‘produtos naturais’ (derivados de plantas, óleos essenciais, chás e temperos, dentre outras) alcança cifras de US$ 60 bilhões US$ / ano, cresce cerca de 7% ao ano e envolve 3 mil espécies, segundo estimativas da ONU.

As condições edafoclimáticas permitem que o estado apresente uma maior diversidade de espécies nativas e exóticas, com mais de 80 espécies cultivadas. As plantas potenciais como pupunha, palmeira-real, juçara, nozes, estévia, coco-anão, cana-de-açúcar para produção de mascavo e bebidas, urucum e outras, apresentam-se como alternativas de renda.

Pupunha no litoral do Paraná     Pupunha no Litoral        Pupunha no Litoral, detalhe

As plantas medicinais constituem-se nichos de mercado, por isso, o produtor deve obter informações e buscar compradores antes de cultivar em larga escala.

Os programas municipais de plantas medicinais e fitoterápicos para atendimento à saude básica são apoiados pelo Instituto Emater, que possui uma estrutura técnica preparada para atender a demanda desde a produção até a comercialização, passando por todos os segmentos da cadeia.

Recomendar esta página via e-mail: