Programa de Gestão - Emater do Futuro

Agenda Estratégica  do Instituto Emater


Em dezembro de 2012, o Instituto iniciou o processo de implementação da gestão para resultados. Este envolve três fases:
  1. a construção da agenda estratégica, que define uma clara definição de propósitos, resultados e como alcançá-los;
  2. o alinhamento da estrutura, dos processos de trabalho, das pessoas e dos recursos alocados com a agenda, para assegurar a implementação; e
  3. a definição de sistemática de monitoramento e avaliação, que permita aprendizado e correção de rumos.
Foi envolvido o corpo técnico e gerencial, em amplo debate e reflexão sobre o papel da organização e o seu futuro. No primeiro semestre de 2013 focou-se na construção da Agenda Estratégica. No segundo será iniciado o trabalho de implementação e monitoramento. É primordial para o sucesso, o desdobramento e o alinhamento nas unidades Departamentais e Regionais, com Planos táticos e operacionais.

O Processo

A Agenda Estratégica é um conjunto de definições sobre os propósitos (missão e visão), os resultados a alcançar (objetivos, indicadores e metas) e como alcançá-los (iniciativas e planos de ação).
O seu processo de construção partiu do Plano Estratégico anterior. Foi estruturado na mobilização interna e na auscultação externa. Estes dados do contexto permitiram:
  • Análise das informações sobre seu desempenho atual;
  • Mapear as expectativas e demandas do público externo e interno
  • Elaborar a Matriz contendo as oportunidades e as ameaças (ambiente externo) e as forças e fraquezas (ambiente interno).
A Missão

A missão exprime o motivo da existência da organização. É construída com intenso debate estratégico. Exprime o valor que ela agrega, a partir do que gera (produtos ou serviços), para que os gera (impactos visados), como os gera (processos ou requisitos envolvidos) e para quem os gera (beneficiários).

 “Promover o desenvolvimento rural sustentável, coordenando, articulando e executando assistência técnica e extensão rural em benefício da sociedade paranaense”

A Visão

A visão exprime o sonho. Como quer ser vista. É uma construção racional. Utiliza dados e análises objetivas e, ao mesmo tempo, imaginativas. É fruto da capacidade visionária da organização e seu compromisso com o futuro
Objetiva gerar convergência e fornecer um ideal para o direcionamento de ações e resultados.

 “Ser reconhecido pela sociedade como referência em assistência técnica e extensão rural e essencial para o desenvolvimento do Paraná.”


Mapa Estratégico

Para alcançar a Visão e cumprir a Missão, aliadas às demandas de seus públicos, o Instituto elaborou sua estratégica. Esta indica claramente o caminho a trilhar e os desafios a superar.

A estratégia foi sintetizada no Mapa Estratégico. Como todo mapa, é uma representação gráfica do conjunto de desafios ou objetivos estratégicos, que terão que ser alcançados. Os objetivos foram distribuídos horizontalmente em perspectivas de análise, sendo elas:
  • Perspectiva da sociedade e do governo: retrata o que o instituto pretende atingir para atender ao governo e servir à sociedade.
  • Perspectiva beneficiários: aponta os objetivos relativos à sua atuação junto ao seu público-beneficiário.
  • Perspectiva processo internos: agrupa os objetivos que terá que alcançar para atender a cada um dos atributos de valor da perspectiva anterior.
  • Perspectiva aprendizado & crescimento: identifica os objetivos que focam o desenvolvimento de pessoas e tecnologias que dão base para execução dos processos.

Indicadores Estratégicos

São métricas que fornecem informações e permitem a avaliação do desempenho organizacional.

Identificou-se um ou mais indicadores para cada objetivo do mapa.

Além da pertinência e significância de cada indicador, é preciso que o conjunto reflita o desempenho do Instituto na sua amplitude. Isto inclui indicadores de efetividade, de eficácia e de eficiência. Chegou-se a um rol de 53 indicadores potencialmente pertinentes, após etapas de filtragem e priorização.

Para a maioria dos objetivos do mapa, identificou-se um ou mais indicadores. Os objetivos que não tiveram indicadores elencados, pois refletem mais os esforços. Estes foram contemplados somente com as iniciativas e ações.

Na sua identificação, aplicou-se critérios como pertinência, relevância, confiabilidade metodológica, sustentabilidade e viabilidade/custo-benefício. O resultado foi um conjunto de 31 indicadores.


Iniciativas Estratégicas

São os esforços que o Instituto implementará para que as metas sejam atingidas. São grandes ações de intervenção. Vão garantir que o Instituto migre da situação atual para a desejada. As iniciativas são o “como” o Instituto irá operar para executar estratégias.

As 40 iniciativas estratégicas construídas, são projetos compostos de 125 eventos (ações) que darão suporte ao alcance dos resultados.

As iniciativas estratégicas foram construídas a partir dos objetivos do mapa, dos indicadores e metas.

Esse desdobramento é necessário para que a estratégia seja traduzida no dia-a-dia de cada unidade do Instituto.




Clique para Ver ou Baixar o Folder com Detalhes (PDF - 2,8 MB)

(dependendo da configuraçãode seu navegador, o arquivo pode abrir diretamente
 ou solicitar decisão manual sobre abrir ou baixar)

Recomendar esta página via e-mail: